LOGOMARCA labofeg

Projeto Solo na Escola- IESA/UFG

PROJETO SOLO NA ESCOLA - IESA/UFG
Caption

      Diante do desafio de conciliar desenvolvimento, produção de alimentos e conservação dos recursos naturais é necessário preparar as futuras gerações para lidar de forma consciente e equilibrada com este conflito. A importância do solo como recurso natural, para além de mero produtor de alimentos, fibras, biocombustíveis ainda não é amplamente conhecida. O Projeto Solo na Escola/LABOGEF busca ampliar a consciência de estudantes e professores, produtores rurais e gestores sobre a importância deste recurso natural não renovável, utilizando metodologias participativas e incentivando-os a se tornarem atores essenciais na transformação da sociedade, quanto à conservação do solo, seu correto uso e manejo.

       A Educação Ambiental tem alcançado expressivos avanços em indivíduos mais jovens, cuja consciência  ainda está em processo de formação. O ambiente escolar representa um terreno fértil para o desenvolvimento dessa consciência quanto ao usufruto dos recursos naturais e dos benefícios da sua conservação (LIMA, 2005). Iniciativas que resultem em conversão de atitudes exploratórias para atitudes sinérgicas com o ambiente devem ser ampliadas, como forma de garantir que cada vez maior número de indivíduos seja capaz de atuar positivamente para garantir a perpetuidade da qualidade dos recursos naturais. Nesse sentido, o Projeto Solo na Escola, pioneiro no Brasil liderado pela Universidade Federal do Paraná – UFPR,  propôs conscientizar professores e estudantes do ensino médio e fundamental acerca da importância do solo para o ecossistema (MUGGLER et al., 2006).         

      O sucesso desta proposta resultou na replicação da iniciativa em outros importantes centros de ensino, pesquisa e extensão, como a Universidade de São Paulo - USP, que conta com o Projeto Solo na Escola em duas das suas unidades, no Departamento de Geografia - FFLCH, em São Paulo/SP e no Departamento de Solos da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiróz" - ESALQ, em Piracicaba/SP; no Departamento de Solos da Universidade Federal de Viçosa - UFV; na Universidade Federal de Campina Grande - UFCG, em Sumé/PB e na Universidade Federal Rural da Amazônia - UFRA, em Belém/PA, entre outros pelo Brasil afora(SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO, 2014).

Contato: rsmomoli@ufg.br